sábado, 10 de dezembro de 2011

Difícil mesmo...

 ...é deixar pra lá, quando já se tornou importante demais..‎. 
Ás vezes, a gente nem precisa mesmo de palavras. Só ficar do lado, basta.‎. 
Quando o amor acontece, é algo que não se espera, não vem com dia, hora ou 
data marcada, mais sim quando a gente menos espera.‎. Amar é aceitação. 
Tem que aceitar as falhas, conviver com os defeitos e fazer deles só um detalhe, só uma diferença. Por fora não demonstra , mas por dentro sente bem mais do que devia.. Não importa se a distância é de 10m ou 100km, é horrível não poder te abraçar. Não tem sensação melhor do que ver um sorriso no seu rosto, e saber que fui eu que o coloquei lá...

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

A impontualidade do amor

Você está sozinho. Você e a torcida do Flamengo. Em frente a tevê, devora dois pacotes de Doritos enquanto espera o telefone tocar. Bem que podia ser hoje, bem que podia ser agora, um amor novinho em folha. 
Trimmm! É sua mãe, quem mais poderia ser? Amor nenhum faz chamadas por telepatia. Amor não atende com hora marcada. Ele pode chegar antes do esperado e encontrar você numa fase galinha, sem disposição para relacionamentos sérios. Ele passa batido e você nem aí. Ou pode chegar tarde demais e encontrar você desiludido da vida, desconfiado, cheio de olheiras. O amor dá meia-volta, volver. Por que o amor nunca chega na hora certa? 
Agora, por exemplo, que você está de banho tomado e camisa jeans. Agora que você está empregado, lavou o carro e está com grana para um cinema. Agora que você pintou o apartamento, ganhou um porta-retrato e começou a gostar de jazz. Agora que você está com o coração às moscas e morrendo de frio. 
O amor aparece quando menos se espera e de onde menos se imagina. Você passa uma festa inteira hipnotizado por alguém que nem lhe enxerga, e mal repara em outro alguém que só tem olhos pra você. Ou então fica arrasado porque não foi pra praia no final de semana. Toda a sua turma está lá, azarando-se uns aos outros. Sentindo-se um ET perdido na cidade grande, você busca refúgio numa locadora de vídeo, sem prever que ali mesmo, na locadora, irá encontrar a pessoa que dará sentido a sua vida. O amor é que nem tesourinha de unhas, nunca está onde a gente pensa. 
O jeito é direcionar o radar para norte, sul, leste e oeste. Seu amor pode estar no corredor de um supermercado, pode estar impaciente na fila de um banco, pode estar pechinchando numa livraria, pode estar cantarolando sozinho dentro de um carro. Pode estar aqui mesmo, no computador, dando o maior mole. O amor está em todos os lugares, você que não procura direito. 
A primeira lição está dada: o amor é onipresente. Agora a segunda: mas é imprevisível. Jamais espere ouvir "eu te amo" num jantar à luz de velas, no dia dos namorados. Ou receber flores logo após a primeira transa. O amor odeia clichês. Você vai ouvir "eu te amo" numa terça-feira, às quatro da tarde, depois de uma discussão, e as flores vão chegar no dia que você tirar carteira de motorista, depois de aprovado no teste de baliza. Idealizar é sofrer. Amar é surpreender. 
(Martha Medeiros)

sábado, 3 de dezembro de 2011

(...)

Às vezes guardamos alguns "cacarecos" porque achamos que uma hora vamos usar ou nos será util. Besteira! Estes só prestam para encher um espaço, e podemos usar esse espaço com coisas que são realmente valiosas e uteis! Em outras palavras, acabei de limpar da minha vida pessoas que só me enchem. Estou deixando aquelas que me querem realmente bem, e na boa, to muito mais leve!!!

domingo, 27 de novembro de 2011

Hoje eu quero agradecer...

Hoje eu quero agradecer a todas as pessoas que passaram pela minha vida até agora.
Quero agradecer aquelas que me deram amor, que sorriram pra mim quando eu precisava; que afagaram meus cabelos enquanto eu chorava; que me indicaram os caminhos; que seguraram minha mão e disseram: “vai em frente” quando eu dizia não consigo”.
 Agradecer aqueles que duvidaram de mim, que disseram que eu não era capaz e que deveria desistir; afinal foi por causa dessas pessoas que eu venci meus limites, que desafiei os acontecimentos e circunstancias. Foram essas pessoas que me impulsionaram a ser quem sou.
 Agradecer a todos os sonhadores, que mesmo falhando me convenceram que valia a pena tentar. Aos que me deram atenção e aos que me negaram também, isso facilitou distinguir o os amigos dos conhecidos.
 Agradecer ao que me ajudaram a estudar e aos que sempre me atrapalharam com suas conversas, piadas e travessuras. Sem estes, os anos de banco escolar não fariam sentido, afinal, é deles que saem os grandes amigos, as melhores festas, o primeiro amor...
 Agradecer aqueles que me repreenderam severamente, que me podaram o sentimento, que me traíram, que me trocaram por outras pessoas, que me fizeram chorar, que me magoaram que me tiraram o chão, que me desfiguraram os sonhos, pois com essas pessoas conheci a face da dor e da desilusão e pude aprender tudo o que NÃO se deve fazer para alguém.
 Mas...
Acima de tudo, quero agradecer aquelas pessoas amargas, corruptas, egoístas, traiçoeiras, invejosas, torturadoras, manipuladoras, sem caráter, que cruzaram o meu caminho, pois com essas pessoas eu aprendi a lição mais importante da minha vida:
 “O TIPO DE PESSOA QUE NÃO QUERO SER!”.

sábado, 26 de novembro de 2011

Selinhos

Olá pessoal, recebi 3 selinhos lindos da Ingrid do Blog da Ingridzinha, obrigado pelo carinho! Amei!!

A regra a repassar para 5 blogs:
Blog da Corujinha
Mulher Poderosa
Stories and Advice
Apenas uma Garota
Quebrando a cara com estilo

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

(...)

"Ninguém É forte ou fraco. Apenas você ESTÁ forte ou está fraco"

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

A Notícia - Parte 3

Por Raí Silva
Antes que ele pudesse falar mais alguma coisa ela vai para o banheiro. Passaram-se quase 30 minutos e ele que já preocupado a chama.

Ele: - Vai ficar aí dentro mais quanto tempo? Se morreu me avisa.
Ela: - Muito engraçado. Estou esperando você ir embora, afinal de contas meu quarto é um local particular.
Ele: - Sai logo daí e acaba com essa brincadeira porque já está passando dos limites.

Ela sai do banheiro enrolada na toalha, o cabelo molhado, senta-se na ponta da cama e enquanto passa hidratante nas pernas, dá continuidade à conversa.

Ela: - Mas eu não estou brincando. Você foi sincero quando disse que está confuso e por isso precisa de um tempo. Estou sendo sincera quando digo que daremos um tempo sim. Um tempo que vai permanecer por durante o resto da nossas vidas. Passamos um tempo juntos que acabou, quando estivermos separados esse tempo não poderá ser interrompido.
Ele: - Mas eu não estou entendendo porque você está agindo tão naturalmente, como se nada tivesse acontecendo.
Ela: - Ah, então você queria que eu estivesse sofrendo, chorando, desiludida e achando que o mundo se acabou, enquanto você arrumava suas malas e saia pela porta, triste por ter que deixar pra trás alguém que está cabisbaixa com um término? Oh querido, se isso seria bom para o seu ego, procura outra forma de se auto afirmar. Huumm, esse sabonete de Castanha do Pará é ótimo, né?
Ele: - Eu sempre te amei.
Ela: - Eu também.
Ele: - Eu sempre me dediquei completamente a você.
Ela: - Eu também.
Ele: - Eu sempre te respeitei.
Ela: - Eu também.
Ele: - Eu sempre te...
Ela: - Eu também, eu também, eu também. Eu sempre deixei de sair com as amigas porque tinha que fazer o almoço do dia seguinte, você também?

Silêncio.

Ela: - Eu sempre tive que lavar roupas depois de ter vindo do salão de beleza. Você também?

Silêncio.

Ela: - Eu sempre tive que aturar noites de ronco. Eu sempre tive que aceitar reuniões de amigos para assistir futebol aqui em casa. Eu sempre compreendi as suas cervejas do final da noite para distrair. Você também? Querido, eu sempre tive que esperar pelo dia que você me pediria tempo. Ai meu Deus!
Ele: - O que foi?
Ela: - Onde estão as malas? Esqueci onde as guardei.
Ele: - Se você se incomodava com essas coisas, porque nunca me contou?
Ela: - Pra quê? Sou adulta o suficiente pra saber que se não fossem essas coisas, seriam outras que me incomodariam. Então fui feliz com você durante todo esse tempo da forma como eu poderia ser. Foi legal. Ao menos você é bom de cama, pra mim uma coisa compensava a outra.
Ele: - E a partir de agora? O que faremos?
Ela: - Faremos? Você é insistente, hem?! Conjuga o verbo no singular meu doce. O que você fará eu não sei, mas eu sei exatamente o que vou fazer daqui pra frente. São tantos os planos, nem sei se terei tempo de vida suficiente pra colocar todos em prática.
Ele: - As vezes tenho a impressão de que você já estava preparada pra esse término.
Ela: - Já faz 3 semanas que não transamos. A média tem sido 1 transa a cada duas semanas. No início do nosso relacionamento, eram 2 vezes ao dia. Oh tempo bom. As vezes antes de sair pra trabalhar você esquece de me dar aquele selinho, no início você só faltava tirar minha roupa pra se despedir antes de ir trabalhar. Enquanto dormimos sou aquecida pelo seu ronco, enquanto você está na outra extremidade da nossa cama que parece ter crescido. No início do relacionamento eu era asfixiada pelos seus abraços e conxinhas pra você era uma ostra gigante, a cama parecia um beliche e você parecia um obeso que ocupava 90% do espaço, enquanto eu não conseguia nem me mexer entre suas pernas e seus braços. Por essas e por outras eu te digo: Claro que eu sabia, claro que eu estava preparada, claro que eu tinha percebido, querido.
Ele: - E você não fazia nada pra mudar essa situação?
Ela: - Pra que tudo isso que eu citei, e mais um pouco, acontecesse antes eu nunca precisei fazer nada além de ser eu mesma. Se o problema fosse comigo, com meu coração, com meu sentimento, eu teria feito alguma coisa. Se você deixou acontecer com você, não me culpe por isso.
Ele: - Esta sensibilidade só as mulheres possuem.
Ela: - Graças a Deus nós mulheres a possuímos. Repito: não me culpe por isso, querido.
Ele: - Eu quero tentar mais uma vez. Vamos passar por isso juntos.
Ela: - LEMBREI!
Ele: - De quê?
Ela: - As malas estão no outro quarto.
Ele: - Não vamos mais precisar das malas.
Ela: - Ah, vamos sim.
Ele: - Mas eu não quero mais tempo.
Ela: - E desde quando o tempo para? Tá precisando ouvir Cazuza, hem?

Ela levanta-se da cama e sai do quarto em direção ao outro cômodo onde estão as malas. Ele a segui.

Ele: - Deixe isso aí.
Ela: - Nossa, cheio de poeira.
Ele: - Larga isso.
Ela: - Larga você.
Ele: - Eu não vou mais embora.
Ela: - Vai sim.
Ele: - Solta isso.
Ela: - Para de me empurrar.
Ele: - Para com isso. Eu amo você, não quero mais ir embora.
Depois de ter tirado a mala de dentro do armário, ele segura na alça ao mesmo tempo em que ela também segura.

Ela: - Solta.
Ele: - Solta você. Eu não tenho pra onde ir.
Ela: - Tem sim. Volta pra o butantan.
Ele: - Pra onde?
Ela: - Pra cada de sua mãe.
Ele: - Para com isso. Solta a mala. Eu já te disse que amo você. Estou arrependido. Não consigo viver sem você. Vamos corrigir todos os erros que eu cometi.
Ela: - E os meus erros? Como vamos corrigí-los? Você não citou os meus ainda.
Ele: - Você não tem erros. Eu que vacilei.
Ela: - Nossa. Isso tudo por causa de uma noite na boate, bebendo e dançando com as amigas? Vou ensiná-las a fazer o mesmo quando o relacionamento de alguma delas entrar em crise.
Ele: - Solta a mala. Me dá mais uma chance. Você já me ensinou que eu não vou conseguir viver sem você e que jamais vou encontrar alguém tão perfeita quanto você é.
Ela: - Sabias palavras. Disso tudo eu já sabia. Mas não sei se posso confiar. Eu te amo, mas vc é um idiota. Eu te amo, mas você não está me dando valor. Eu te amo, mas eu precisei fazer isso tudo pra você entender a burrice que estava fazendo. Você precisou me perder antes mesmo de ter me perdido, pra conseguir perceber a importância que tenho em sua vida. Não sei se uma mulher inteligente feito eu pode continuar com um homem burro feito você.
Ele: - Então isso tudo foi proposital? Você planejou isso tudo?
Ela: - Claro. Cada segundo.
Ele: - Então, aprendi a lição. Vai soltar a mala ou não?

Ela estava olhando firme nos olhos dele, mas estava em dúvida sobre o que fazer, apesar de não demonstrar.

Para finalizar o conto será necessário que você dê sua opinião. E agora, o que ela faz? SOLTA A MALA e deixa ele ficar ou SEGURA A MALA para fazê-lo ir embora?

Após 10 opiniões eu escrevo a última parte da história de acordo com a vontade da maioria.

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

A Notícia - Parte 2

Por Raí Silva
O carro para em frente a uma boate, as três amigas saem e dão a chave para o manobrista. O recem solteiro que as seguiu estava confuso, sem entender nada do que estava acontecendo, contudo decidiu entrar na boate. Lá dentro tentou uma nova aproximação da recem ex-esposa.

Ele: - Será que eu posso conversar com você?
Ela: - Ain, que susto. O que é que você tá fazendo aqui? A festa tá linda ne?!

Ele a puxa pelo braço, a tira da pista de dança e a leva para um canto qualquer, menos barulhento.

Ele: Você está jogando fora 5 anos de casamento. Suas atitudes estão me surpreendendo, por que você está fazendo isso comigo?
Ela (distraída procurando as amigas na pista de dança): O quê? Desculpa, mas aqui é muito barulhento. Não consigo te ouvir muito bem.
Ele: - Vamos sair daqui, agora!
Ela: - Sair? Ta louco? O ingresso aqui é caríssimo e a festa tá bombadíssima, querido!
Ele: - Você pirou, só pode ser. Não foi por você que me apaixonei.
Ela: - Mas foi essa mesma que te fez desapaixonar? Deixa eu recapitular. Voltei do trabalho pensando em fazer um jantar diferente pra você. Uma comida diferente, pra depois assistirmos um filme e ficarmos agarradinhos na cama até pegarmos no sono. Meu Deus, hoje é sexta feira. Você lembra quando foi a última vez que saímos pra dançar? Ai, deu sede. Vai beber alguma coisa?
Ele: - Não sei, talvez.
Ela: - Ah, você deve estar dirigindo. Garçon, quero wisky por favor. Com bastante energético que a pista me espera. Esse Dj é ótimo. Ah, e um refrigerante pra meu amigo.
Ele: - Eu não quero refrigerante e não sou seu amigo.
Ela: - Se decida. Vai beber ou não? Quanto ao "amigos", somos o quê então? Se tem uma coisa que não gosto é de regredir em minha vida. Chegamos a última etapa de um relacionamento amoroso, querido. A próxima etapa é o divórcio. Não temos como voltar a fita e nos assumirmos enquanto namorados, ou voltarmos ao noivado. Impossível. Vai querer o quê? Ser meu ficante?
Ele: - Deixa eu ver se estou entendendo, você não me ama mais, certo?
Ela: - Errado, você não está entendendo. Quem falou sobre o término foi você, não eu. Portanto quem não me ama mais é você.
Ele: - Mas você não está se importando com isso?
Ela: - Isso o quê? Sua falta de amor por mim?
Ele: - Sim... quer dizer, não. Não é isso. Eu gosto de você sim, te admiro muito. Você sempre foi uma excelente pessoa, sempre esteve comigo em todos os momentos que precisei. Sabe cuidar da casa como ninguém e ainda por cima é linda.
Ela: - Nossa, fiquei lisongeada.
Ele: - Ta vendo que reconheço as suas qualidades?
Ela (rindo): - Qualidades? No plural? Querido, vou considerar apenas um elogio porque quero ser generosa. Sim, sou linda. Quanto aos outros elogios, dispenso. Qualquer um que não tenha passagem pela polícia pode ser excelente pessoa. Um cartão de crédito também está presente nos momentos em que mais precisamos. Cuidar da casa? Se o problema é esse, posso te indicar ótimas agências de diaristas.
Ele: - Você entendeu tudo errado.
Ela: Não, você que disse tudo errado. AAAAAAAA, ADORO ESSA MÚSICA!!!

Ela corre para a pista de dança, se junta às amigas e dança fervorosamente uma música de batida eletrônica que ele nunca tinha ouvido. Ele fica distante, perplexo, tentando ouvir seus próprios pensamentos que pareciam inaudíveis com aquela música no último volume.
Enquanto a observava percebeu que haviam outros rapazes dançando enquanto as olhava. Um deles decidiu se aproximar e dançou com uma das amigas que acompanhava sua ex-esposa. Outros dois aproveitaram a deixa e também se aproximaram. As garotas pareciam não percebê-los. Demonstravam não se preocupar com a aproximação daqueles estranhos. Um deles se aproximou da recem solteira e enquanto dançava colocou sua mão na cintura da mulher a ser conquistada. Bastaram apenas alguns segundos para que o ex-marido se aproximasse e atingisse o estranho com um sôco, fazendo-o cair e a pista de dança abrir deixando no centro apenas os três personagens principais daquela cena: O ex-marido, a ex-esposa e o estranho.

Ela: - Você tá louco?
Ele: - Você não viu que ele estava te agarrando?
Estranho: - A gente tava dançando seu babaca. E se você deixa sua mulher na pista é porque...
Ela: - Eu não sou mulher dele.

Várias outras pessoas já tinham se aproximado e tentavam desfazer aquela confusão. A música agora era de uma versão remix de alguma cantora com uma voz bem fina. Misturavam-se àquelas notas agudas os gritos daqueles que estavam metidos na confusão e as outras pessoas presentes que comentavam o ocorrido. O casal se afastou da confusão enquanto as amigas seguravam os rapazes que queriam defender o amigo. E para homens, defender é sinônimo de atacar. O casal foi para um canto e a pista de dança voltou a ficar lotada em segundos. Todos esqueceram o que aconteceu imediatamente.

Ele: - Por que você fez isso?
Ela: - Fiz o quê? Dancei, chamei atenção com aquela beleza que você citou há pouco?
Ele: - Agora você já sabe porque eu não gostava de te levar nessas boates.
Ela: - Então preferia me manter em cárcere privado? Já parou pra pensar que se meu marido estivesse na pista dançando comigo, se eu tivesse um, ninguém se aproximaria de mim? Quanto aos olhares, você já deveria estar acostumado. Eu sou linda, querido. Sou desejada até quando vou comprar pão na esquina.
Ele: - Por favor, vamos embora.
Ela: - Garçon, mais Wisky, por favor. Dessa vez com pouco energético, estou com energia pra passar 7 dias num carnaval ininterrupto. Não querido, eu disse menos energético e não menos wisky. Capricha!

Ele já tinha perdido as forças e a inteligência pra saber conduzir a situação lhe faltava. Decidiu pedir uma cachaça qualquer enquanto assistia sua ex-esposa voltar para a pista. Suas amigas a recebiam às gargalhadas. Dessa vez ninguém se aproximava delas e pelo que ele percebia, nem olhares na direção delas existia. Ele ficou ali quieto, sentado num canto enquanto sua ex-esposa chamava o garçon de 5 em 5 minutos ao mesmo tempo em que seu copo também não permanecia vazio em momento algum.
Poucos minutos foram suficientes para que não se fosse mais percebida a hora passar. E assim a noite seguiu.

O dia amanheceu e o ex-casal estava deitado na sua cama, já em casa, quando ela abriu os olhos e parecia que tinha um holofote de milhões de volts apontado em sua direção. Seus olhos estavam pesados, a garganta doendo, a cabeça fervendo os neurônios. Ela olha para o lado e vê o ex-marido deitado. Algo lhe dizia que quando ele acordasse teria as mesmas âncias de vômito que naquele momento ela sentia.

Ela: - Ei, acorda. Ai. Ei, vai tomar um banho, parece até que você mergulhou numa psicina de cachaça. Ai minha cabeça. Como foi que eu cheguei em casa? Levanta, precisamos arrumar sua mala.
Ele: - Ham? O que foi que aconteceu? Algum tanque de guerra passou por cima de mim depois de eu ter sido atropelado por um trem bala ou é impressão minha?
Ela: - É impressão. O tanque estava ocupado atirando uma bomba em mim. Já o trem, não se preocupe, não existe trem em nossa cidade.
Ele: - Engraçadinha. Será que agora a gente pode conversar?
Ela: - Meu Deus do céu, ele não vai desistir nunca? Não sei de quem foi a ideia de te trazer aqui pra minha casa, mas seja lá quem for, vai se ver comigo.
Como será que isso tudo vai acabar?

QUER QUE EU CONTINUE?

terça-feira, 1 de novembro de 2011

A Notícia

Por Raí Silva
5 ANOS DE CASAMENTO DEPOIS...

Ele: - Precisamos conversar. Eu não sei o que está acontecendo comigo. Estou confuso, preciso de um tempo.
Ela (fazendo uma ligação): - Amiga, mudança de planos. Vou com vocês. Que horas te encontro? Ok. Beijos.
Ele: - Vai pra onde?
Ela: - Agora? Tô indo me arrumar.
Ele: - Se arrumar, como assim? Pra quê?
Ela: - Você não acha que vou sair por aí desarumada, acha?
Ele: - Sair por aí? Você ouviu o que eu falei há pouco?
Ela: - Sobre o tempo? Ouvi perfeitamente.
Ele: - E não vai me dizer nada?
Ela: - Vou. O tempo começa agora. Salve-se quem puder! Alguém me segure! (Rindo, vai para o banheiro)
Ele: - Eu não estou achando graça. Estou falando sério com você. Por que você trancou a porta?
Ela: - Sou uma mulher de respeito, estou no banheiro nua e não posso deixar qualquer um me ver sem roupa.
Ele: - Mas eu sou seu ma... Dá pra você parar com essa palhaçada?
Ela (saindo do banheiro): - Dá pra você ficar de costas? Preciso me vestir.
Ele: - Eu já te vi sem roupa durante anos, por que não posso vê-la agora?
Ela: - Simples, querido. Você me viu sem roupa quando estávamos namorando, quando eramos noivos e enquanto estivemos casados. Nenhuma das circunstâncias se aplicam ao atual momento, portanto de costas, por favor!
Ele: - Faz o seguinte, estou lá em baixo, na sala, esperando você se acalmar e a gente volta a conversar feito adultos. Sei que é difícil pra você, mas tem que ser forte. A gente vai ficar bem. Enfim, estou lá em baixo.
 1 hora e 25 minutos depois ela passa pela sala, com um vestido vermelho curto, saltos, maquiagem caprichada, brincos grandes e cabelos milimetricamente penteados.

Ela (olhando para o espelho, fazendo os últimos retoques no batom): - Já sabe onde vai ficar?
Ele: - Onde vou ficar? Como assim?
Ela: - Onde vai morar, querido?
Ele: - Morar?
Ela: - Vai ficar repetindo tudo que eu digo? Olha, espero que não tenha que voltar pra casa de sua mãe. Aquela cascavel não vai achar isso legal.
Ele: - Por que está chamando minha mãe assim? Vocês sempre se deram tão bem.
Ela: - Aquela ali nunca prestou e sempre estive com os olhos bem abertos pra ela. Agora como não preciso ter nenhum vínculo com ela, não preciso mais fingir que gosto de quem não gosta de mim.
Ele: - Por que você está agindo assim?
Ela: - Nossa, você inicou este assunto de forma tão decidida, tão incisiva, tão cheio de certezas. Por que agora está fazendo tantas perguntas? Por mim esta conversa ja teria acabado desde a sua primeira frase. Depois disso é completamente desnecessário conversar sobre o assunto.
Ele: - Mas e tudo que vivemos durante esse tempo que estivemos juntos? Precisamos conversar sobre isso.
Ela: - Opa, essa frase era minha. Vamos fazer o seguinte, como eu sei que você é muito desorganizado, amanhã pela manhã arrumaremos suas malas juntos, vou te dando as orientações sobre como dobrar as camisas e aí conversamos mais sobre isso, apesar de que acho super desnecessário...

Barulho de buzina.

Ela: - chegaram.
Ele: - Quem, chegaram?
Ela: - Beijinho, até mais.

Ela abre a porta, ele se apressa, pega a carteira e vai atrás. Ela entra no carro junto com outras duas amigas, ri e com pressa pedi pra irem logo. Ele entra no carro dele e vai seguindo o automóvel que está sua ex-esposa.
...

(Quer que eu continue?)

sábado, 29 de outubro de 2011

Ter ou não ter namorado, eis a questão

Quem não tem namorado é alguém que tirou férias remuneradas de si mesmo. Namorado é a mais difícil das conquistas. Difícil porque namorado de verdade é muito raro. Necessita de adivinhação, de pele, saliva, lágrima, nuvem, quindim, brisa ou filosofia. Paquera, gabira, flerte, caso, transa, envolvimento, até paixão é fácil. Mas namorado mesmo é muito difícil.
Namorado não precisa ser o mais bonito, mas ser aquele a quem se quer proteger e quando se chega ao lado dele a gente treme, sua frio, e quase desmaia pedindo proteção. A proteção dele não precisa ser parruda ou bandoleira: basta um olhar de compreensão ou mesmo de aflição.
Quem não tem namorado não é quem não tem amor: é quem não sabe o gosto de namorar. Se você tem três pretendentes, dois paqueras, um envolvimento, dois amantes e um esposo; mesmo assim pode não ter nenhum namorado. Não tem namorado quem não sabe o gosto da chuva, cinema, sessão das duas, medo do pai, sanduíche da padaria ou drible no trabalho.
Não tem namorado quem transa sem carinho, quem se acaricia sem vontade de virar lagartixa e quem ama sem alegria.
Não tem namorado quem faz pactos de amor apenas com a infelicidade. Namorar é fazer pactos com a felicidade, ainda que rápida, escondida, fugidia ou impossível de curar.
Não tem namorado quem não sabe dar o valor de mãos dadas, de carinho escondido na hora que passa o filme, da flor catada no muro e entregue de repente, de poesia de Fernando Pessoa, Vinícius de Moraes ou Chico Buarque, lida bem devagar, de gargalhada quando fala junto ou descobre a meia rasgada, de ânsia enorme de viajar junto para a Escócia, ou mesmo de metrô, bonde, nuvem, cavalo, tapete mágico ou foguete interplanetário.
Não tem namorado quem não gosta de dormir, fazer sesta abraçado, fazer compra junto. Não tem namorado quem não gosta de falar do próprio amor nem de ficar horas e horas olhando o mistério do outro dentro dos olhos dele; abobalhados de alegria pela lucidez do amor.
Não tem namorado quem não redescobre a criança e a do amado e vai com ela a parques, fliperamas, beira d’água, show do Milton Nascimento, bosques enluarados, ruas de sonhos ou musical da Metro.
Não tem namorado quem não tem música secreta com ele, quem não dedica livros, quem não recorta artigos, quem não se chateia com o fato de seu bem ser paquerado. Não tem namorado quem ama sem gostar; quem gosta sem curtir quem curte sem aprofundar. Não tem namorado quem nunca sentiu o gosto de ser lembrado de repente no fim de semana, na madrugada ou meio-dia do dia de sol em plena praia cheia de rivais.
Não tem namorado quem ama sem se dedicar, quem namora sem brincar, quem vive cheio de obrigações; quem faz sexo sem esperar o outro ir junto com ele.
Não tem namorado que confunde solidão com ficar sozinho e em paz. Não tem namorado quem não fala sozinho, não ri de si mesmo e quem tem medo de ser afetivo.
Se você não tem namorado porque não descobriu que o amor é alegre e você vive pesando 200Kg de grilos e de medos. Ponha a saia mais leve, aquela de chita, e passeie de mãos dadas com o ar. Enfeite-se com margaridas e ternuras e escove a alma com leves fricções de esperança. De alma escovada e coração estouvado, saia do quintal de si mesma e descubra o próprio jardim.
Acorde com gosto de caqui e sorria lírios para quem passe debaixo de sua janela. Ponha intenção de quermesse em seus olhos e beba licor de contos de fada. Ande como se o chão estivesse repleto de sons de flauta e do céu descesse uma névoa de borboletas, cada qual trazendo uma pérola falante a dizer frases sutis e palavras de galanteio.
Se você não tem namorado é porque não enlouqueceu aquele pouquinho necessário para fazer a vida parar e, de repente, parecer que faz sentido. Enlou-cresça!
(Carlos Drummond de Andrade)

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

(...)

Por que será que você não sai do meu pensamento? 
Tento te esquecer por um segundo, 
mais sempre algo me faz lembrar você...
E eu me questiono  se isso é normal.

domingo, 23 de outubro de 2011

Exatamente assim...


Pesada, sufocada.
Ando com uma vontade tão grande de receber todos os afetos, todos os carinhos, todas as atenções.
Quero colo, quero beijo, quero cafuné, abraço apertado, mensagem na madrugada, quero flores, quero doces, quero música, vento, cheiros ... quero parar de me doar e começar a receber.
Sabe, eu acho que não sei fechar ciclos, colocar pontos finais. 
Comigo são sempre virgulas, aspas, reticências... eu vou gostando... eu vou cuidando, eu vou desculpando, eu vou superando, eu vou compreendendo, eu vou relevando, eu vou... e continuo indo, assim, desse jeito, sem virar páginas, sem colocar pontos... e vou... dando muito de mim, e aceitando o pouquinho que os outros tem para me dar.
(Caio Fernando Abreu)

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Hoje me dei conta...

Hoje me dei conta de que as
pessoas vivem a esperar por algo
E quando surge uma oportunidade
Se dizem confusas e despreparadas
Sentem que não merecem
Que o tempo certo ainda não chegou
E a vida passa
E os momentos se acumulam
como papéis sobre uma mesa
Estamos nos preparando para qualquer coisa
Mas ainda não aprendemos a viver
A arriscar por aquilo que queremos
A sentir aquilo que sonhamos
E assim adiamos nossas
vidas por tempo indeterminado
Até que a vida se encarregue
de decidir por nós mesmos
E percebemos o quanto perdemos
E o tanto que poderíamos ter evitado
Como somos tolos em nossos
pensamentos limitados
Em nossas emoções contidas
Em nossas ações determinadas
O ser humano se prende em si mesmo
Por medo e desconfiança
Vive como coisa
Num mundo de coisas
O tempo esperado é o agora
Sua consciência lhe direciona
Seus sentidos lhe alertam
E suas emoções não
mais são desprezadas
Antes que tudo acabe
É preciso fazer iniciar
Mesmo com dor e sofrimento
Antes arriscar do que apenas sonhar.

Por Cecília Meireles

terça-feira, 18 de outubro de 2011

10 coisas que eu odeio em você

1- Odeio o modo como fala comigo e como corta o cabelo.
2- Odeio como dirige o meu carro.
3- E odeio seu desmazelo.
4- Odeio suas enormes botas de combate e como consegue ler minha mente.
5- Eu odeio tanto isso em você, que até me sinto doente.
6- Eu odeio como está sempre certo.
7- E odeio quando você mente.
8- Eu odeio quando me faz rir muito, e mas quando me faz chorar.
9- Eu odeio quando não está por perto, e o fato de não me ligar.
10- Mas eu odeio principalmente, não conseguir te odiar.
Nem um pouco, nem mesmo por um segundo, nem mesmo só por te odiar.

sábado, 15 de outubro de 2011

10 Coisas que MENOS gosto

Olá pessoal, fui escolhida pelo "Blog da Corujinha" para participar de uma brincadeira bem legal. Postar 10 coisas que não gosto ou odeio. Achei a ideia bem interessante, afinal é uma maneira de expressarmos nossas opiniões e serve também para vocês me conhecerem um pouco melhor. Então vamos lá:
1- ACORDAR CEDO
2- VIOLÊNCIA
3- PEDOFILIA
4- BARATA
5- VIOLÊNCIA CONTRA ANIMAIS
6- MENTIRA
7- FALSIDADE
8- FUMAÇA DE CIGARRO
9- PESSOAS METIDAS
10- FILA
Bom, e essa brincadeira tem algumas regrinhas simples:
1- Divulgar o nome do blog que indicou você
2- Escolher 10 blogs para fazer a brincadeira
Bom pessoal, prefiro não indicar os blogs, vou deixar para que vocês decidam se querem participar ou não... 
Mais gostaria de saber um pouco sobre vocês também, amigas queridas que visitam o blog, quais são as 10 coisas que você menos gosta?

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Feliz Dia das Crianças!!

Feliz Dia das
Crianças
Todo mundo carrega dentro de si uma criança.
E todo mundo aprende a reprimi-la para ser adulto.
Crescemos e "temos" que ser sérios.
Quantas vezes você já não ouviu alguém dizer: "deixe de criancice!"?
E desde quando precisamos deixar de ser crianças?
Ria de você mesmo, seja "ridículo",
brinque na chuva, de fazer castelos na areia, de fazer castelos no ar...
sonhe, faça bagunça no meio da rua, cante na hora que der vontade,
converse com você mesmo como se tivesse conversando com um amiguinho,
assista desenho animado e veja a sua vida
como se ela fosse um desenho animado,
brinque com uma criança... como uma criança...
Fique feliz simplesmente por ficar,
sorria e ria sem motivo,
ria de você, dos seus dramas, do ridículo das situações...
E acredite na pureza do ser humano...
na pureza de criança que talvez esteja escondida,
mas que existe em cada um de nós.
Para alguns você vai parecer louco, bobo ou infantil...
mostre a língua para esses "alguns" e diga,
como uma criança: "sou bobo mas sou feliz!"
Esses "alguns" com certeza têm uma criança maluquinha,
doida pra fazer bagunça também.
A vida já é muito complicada para vivermos sérios e carrancudos.
E isso tudo não é deixar de viver com seriedade...
é viver com a leveza de uma criança
e obrigações de adulto.
Fica muito mais fácil viver assim.
Então, coloque uma panela na cabeça
e solte o menino(a) maluquinho(a) que existe dentro de você!
Só não vale subir no muro e achar que sabe voar, né?

FELIZ  DIA DAS CRIANÇAS!

Brindes Grátis - Mundo do Cabelo

Olá, meninas! Vim trazer uma notícia boa para todas nós, o 'Mundo do Cabelo' está dando brindes para quem divulgar a frase: Mundo do Cabelo, tudo em Cuidados com os Cabelos no seu site ou blog. Sem sorteio, sem nada! Divulgou, ganhou! 

Os brindes variam de Ampolas a Escovas profissionais, dependendo da disponibilidade! E também é uma dica para darmos uma olhada na loja virtual, né? Então corre lá no site do Mundo do Cabelo!
Eu como não sou besta, já estou esperando meu brinde rsrs

Bjinhos
Tamiris Rangel

domingo, 9 de outubro de 2011

sábado, 8 de outubro de 2011

Procura-se

Procuro perdida no meio da multidão
Alguém que saiba me amar
Alguém que me dê à mão
Que nunca me faça chorar
Que me guie na escuridão
Que seja companheiro
Que seja verdadeiro
Alguém que me ensine a sorrir
Que tire de mim os espinhos
Que nunca queira me iludir
Que me mostre novos caminhos
Alguém que me traga uma flor
Alguém que me traga esperanças
E enxugue minhas lágrimas de dor
Que goste também de crianças
E que também sofra por amor
Procura-se desesperadamente alguém
Que me faça amadurecer de verdade
E que me faça encontrar
A felicidade!

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Como

Como posso dizer que não te amo
Se você está em mim
Como posso dizer que não te quero
Se nunca te esqueci
Como posso dizer que não sinto sua falta
Se a saudade dilacera meu peito
Como posso dizer que pouco importa
Se você volta
Se tenho medo
Como posso dizer que você é passado
Se meu futuro depende de você
Como posso dizer que vou lutar
Contra esse amor
Se não quero te esquecer...

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Hoje

Hoje só preciso do sol, para aquecer meu corpo e me fazer sentir vivo, sem temer ao frio, para me trazer a brisa suave que acarinhando meu rosto me fará sentir que a vida vale a pena.
Hoje só preciso das nuvens, que formando desenhos curiosos no céu me farão sorrir enquanto tento decifrar as formas tímidas que vão se formando para me mostrar que mesmo o infinito dos céus tem seus mistérios.
Hoje só preciso do mar, onde lavarei minha alma das coisas que me afligem e em suas ondas macias poderei sentir a força de uma imensidão que me oferece o carinho de águas calmas independente de quão grande possa ser a minha fúria próxima de sua colossal dimensão. Hoje só preciso de você, que me fará a companhia necessária para que eu possa aproveitar o sol, as nuvens, o mar e todas as coisas que estão diante de mim. Afinal tendo com quem compartilhar as coisas boas da vida, tudo vale mais a pena.
(Raí Silva)

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Para uma vida mais saudável

Sorria  
Fale obrigado  
Deixe outras pessoas inspirarem você  
Segure na mão de algúem  
Faça um voluntariado  
Ame a você mesma  
Faça o seu melhor  
Fale para alguem o quanto você gosta dela 
Dê um tempo para você  
Vá ao encontro dos seus medos  
Seja diferente  
Escreva uma poesia 
Escreva uma música  
Aumente a música  
Dance  
Relaxe  
Escreva uma carta para você mesmo 
Sonhe alto  
Surpreenda as pessoas  
Beije muito  
Lembre-se que a tristeza não dura muito 
Agradeça pelo seu passado e pela pessoa que você é agora  
Beba mais água  
Olhe as estrelas 
Compartilhe  
Faça contato  
Olhe nos olhos quando conversa com alguém  
Não tenha medo  
Observe seus instintos  
Seja curioso  
Admita seus erros  
Aceite os erros dos outros  
Paquere  
Viva  
Coma menos açucar  
Escolha a felicidade  
Não se compare com as outras pessoas  
Aceite sua vida, mas não se acomode  
Fale com estranhos  
AME